segunda-feira, 27 de julho de 2015

Beringelas com molho de hortelã

 photo beringelas_1_zpstyoyyu9k.jpg  photo beringelas_2_zpsfs4udm2i.jpg

No Verão basta isto.
Uma manhã de praia. Um churrasco. Umas beringelas acabadas de apanhar.


   photo beringelas_3_zpszipuu4oy.jpg 


Beringelas com molho de hortelã

Serve 4

4 beringelas pequenas
1 molho de hortelã picadinha
1 iogurte natural (120 g)
2 c. sopa de queijo de cabra esfarelado
Sumo de ½ limão
Sal e pimenta preta moída na hora

// preparação

Corte cada uma das beringelas em quartos, no sentido do comprimento, tempere com sal e pimenta e embrulhe uma a uma, como se estivessem inteiras, em papel prata.
Asse na grelha do churrasco ou no forno ou, se preferir, não embrulhe e grelhe os quartos de beringela numa chapa, no fogão.

Enquanto isso, prepare o molho.
Misture todo os ingredientes numa tigela e tempere com sal e pimenta.
Prove, rectifique os temperos caso seja necessário, e deixe descansar no frigorífico até servir.

Sirva a beringela em quartos, morna ou fria, com o molho.

O arroz que aparece na imagem, e que também foi acompanhamento do churrasco, é este arroz de beterraba, cuja receita já cá encontram no blogue.

   photo beringelas_4_zpsvf8vce2f.jpg

quarta-feira, 15 de julho de 2015

No Verão, apanham-se amoras silvestres e faz-se uma galette.

 photo 0001_zpsvb7kkndd.jpg

Agora que fiz finalmente a última sessão fotográfica de trabalho antes da chegada da bebé, tenho o que raramente é possível nos meses de Verão, quando o trabalho é sempre mais intenso – os fins de semana livres!
Quando vamos passar o dia a Palmela, temos com que nos entreter... não só com as árvores de fruta que há na quinta (a maçã riscadinha e os abrunhos estão agora no auge), mas também as amoras dos campos baldios ali à volta.
   photo 0002_zpsqwugzw5r.jpg photo 0003_zpsp2e6wmxh.jpg

Pegar na Bulma e sair ao fim da tarde para nos embrenharmos no meio das silvas, dá sempre numa taça cheia e em galette.
Como não ser feliz no Verão?
   photo 0004_zpsg44aczyw.jpg

Fruta doce de Verão numa massa estaladiça acabada de sair no forno, é sempre um sorriso certo para quem está à volta.
Simples, com iogurte ou uma bola de gelado a acompanhar, vai uma fatia?


   photo 0005_zpsrd3rxsl1.jpg 

Galette de amoras

100 g de farinha de trigo p/ bolos
100 g de farinha de trigo integral
Raspa de meio limão
1 pitada de sal
1 ovo
80 g de manteiga fria, cortada em cubos pequenos
1 chávena de amoras silvestres
1 c. sopa de açúcar mascavado aromatizado com baunilha
1 c. sopa de maizena


// preparação da massa

Para preparar a massa tradicionalmente:
Numa taça grande, misture as farinhas, a raspa do limão e o sal.
Junte o ovo e os cubos de manteiga gelada e misture com a ponta dos dedos até obter primeiro uma farofa grossa e depois uma massa mais homogénea, mas sem amassar demais, apenas para conseguir formar uma bola.

Para preparar a massa no robot de cozinha/bimby:
Coloque no copo as farinhas, a raspa do limão, o sal, o ovo e manteiga e amasse 6 seg/vel 6.
Retire e forme uma bola.

Achate a massa num disco, envolva em película e deixe descansar no frigorífico por pelo menos 30 minutos, ou de um dia para o outro.


// finalização

Pré-aqueça o forno a 180ºC.

Numa taça, envolva as amoras com o açúcar aromatizado e a maizena, e deixe descansar enquanto estica a massa.
Numa superfície enfarinhada ou sobre papel vegetal, abra a massa com o rolo num círculo com uns 3mm de espessura e transfira para um tabuleiro de forno.
Distribua a fruta no centro da massa deixando uma margem livre à volta para poder dobrar.
Dobre as bordas sobre o recheio e pincele com a calda das frutas que sobrar ou com leite.

Leve ao forno a 180ºC cerca de 30 a 40 minutos, até que a massa fique bem dourada.
Retire do forno e sirva morno, com uma bola de gelado ou iogurte.

   photo 0006_zpsl2ccaa1y.jpg

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Salada de tomate e pêssego

Por aqui as semanas voam entre trabalho, cozinhados, afazeres e preparativos, e uma semana de férias pela Costa Vicentina que soube a passagem pelo paraíso.

Se acompanham o Facebook do blogue já conhecem a banca da Petra, no Mercado de Aljezur, de onde trouxe os melhores souvenirs da viagem.
Comigo para casa vieram batata doce lá da terra, uma amêndoas especiais de corrida que se tornaram o meu vício actual, figos lampos secos ao sol e uma sacada de tomate que alegrou a semana de regresso, enquanto o da horta não ficava no ponto.
   photo 0001_zpslkvuq3v5.jpg

Eu vejo tomate maduro e suculento e não penso em mais nada: Verão, Verão, Verão!
Tanto lá, como cá, fizeram a festa numas belas tomatadas e, claro, nas inevitáveis saladas que este calorão dos últimos dias tanto pedem.
   photo 0002_zpsrdlhm3gh.jpg

Mais coisa, menos coisa, ando viciada numa das minhas combinações favoritas: tomate e pêssego. Ora com funcho, ora com pepino, ora com uns tomatinhos cereja amarelos, nunca falha – fica boa demais!
   photo 0003_zpsbgq7vgbe.jpg

Se ainda não experimentaram juntar no mesmo prato tomate sumarento e maduro com pêssegos docinhos de sabor veranil, não imaginam o que andam a perder!


   photo 0004_zpscymhf5h7.jpg 


Salada de tomate e pêssego

Serve 1

1 tomate maduro grande ou dois médios
1 mão cheia de tomatinho cereja amarelo
1 pêssego paraguaio grande, maduro (mas ainda firme)
½ cebola pequena
1 mão cheia de amêndoas
1 ovo cozido – opcional
Sal e pimenta preta moída na hora
Azeite e vinagre
   photo 0005_zpsm3borcsp.jpg

// preparação

Num prato, coloque o tomate fatiado, o tomate cereja cortado em metades, o pêssego cortado em fatias, a cebola em meias luas finas e distribua as amêndoas partidas grosseiramente.
Se optar por usar o ovo (eu usei, mas esqueci-me de colocá-lo quando fiz a foto, ups!), corte-o em pedacinhos e misture.
Tempere com sal e pimenta, azeite e vinagre e está pronta. Maravilhosa!
   photo 0006_zpsxvvrki8h.jpg

terça-feira, 2 de junho de 2015

Coisas boas do meu Verão! Gelado de morango e iogurte com manjericão.

 photo _0_zpsazlfdmv4.jpg Fotografia solarenga e veranil feita pela minha amiga Cláudia, e há mais deste dia, aqui


São 27 semanas deste sorriso: alegria tão boa de sentir, esta de ter a nossa bebé a crescer dentro de mim.

Quem segue a página de Facebook do No Soup já sabe da novidade há umas semanas, vem aí uma Isabel lá para meados de Agosto.

Não quero aproveitar-me desta fase tão especial das nossas vidas para fazer uma novela cor de rosa em tempo real, razão pela qual optei por viver em modo offline estes primeiros dois trimestres da gravidez.
E assim vai continuar. Até agora tem sido tudo muito tranquilo, tenho trabalhado com energia e cozinhado com vontade, logo que os enjoos iniciais se foram embora.

Alimentação saudável mais do que nunca, muita coisa boa a chegar da horta dos meus pais e cheia de saudades de um belo bife mal passado, eheheh.
   photo 0001 copy_zpsvslum3k0.jpg photo 0002 copy_zps3kgz3goi.jpg

Escolher a receita deste post tão especial foi fácil.
O que poderia combinar melhor com a alegria desta boa nova do que um gelado de morango?

Finalmente no seu máximo esplendor, perfumados e bem docinhos, os morangos fazem o gelado mais pedido cá em casa e, por isso, volta e meia lá sai mais uma versão.
Desta vez com base de iogurte e uma combinação que já se tornou clássica - manjericão.

Nada melhor para refrescar estes próximos meses de calor até chegar a nossa Isabel!


   photo 0005__zpskqtxarvt.jpg


Gelado de morango e iogurte com manjericão 

8 a 10 folhas de manjericão
80g de açúcar amarelo
700g de morangos maduros
200g de iogurte natural ou grego


// preparação tradicional

Triture os morangos com o açúcar, o iogurte e o manjericão picado, até obter uma mistura homogénea.
Coloque na máquina de gelados ou, 
em alternativa, leve ao congelador e bata pelo menos duas vezes durante a solidificação.
Quantas mais vezes for batido, mais cremoso ficará o gelado.

Retire do frio 15 minutos antes de servir, para que amoleça um pouco.

   photo 0004 copy_zpsuq18lmlw.jpg


// preparação robot de cozinha (bimby_thermomix)

Congele previamente os morangos.
Coloque no copo bem seco as folhas de manjericão e o açúcar e pulverize 6 seg/vel 9.
Adicione metade dos morangos congelados e triture 15 seg/vel 9.
Junte os restantes morangos e o iogurte e triture 1 a 2 min/vel 9, ajudando com a espátula.
Sirva de seguida ou congele.

Se congelar, retire do frio 15 minutos antes de servir, para que amoleça um pouco.

   photo 0006_zpsrkiataqt.jpg

terça-feira, 19 de maio de 2015

Sopa de favas e funcho

Da horta já me chegam as favas, uma temporada sempre tão curta e, por isso mesmo, tão festejada.
Os clássicos são inevitavelmente revisitados e a primeira colheita tem destino certo - ser saboreada em casa dos meus pais - porque não há melhores honras à Primavera hortícola que as favas guisadas da minha mãe. Ahh, tão boas!
   photo 0001_zps9mker4os.jpg photo 0002_zpssuhxgbp1.jpg

Depois tento sempre aproveitar para experimentar alguma receita nova, porque tê-las assim, na máxima frescura e sabor, é outra coisa. 

As últimas que trouxe deram em sopa, e emparelhá-las com funcho é delícia certa e prato limpo ao sair da mesa. 
Neste iô-iô de temperaturas das últimas semanas, calham-nos agora dois dias mais frescos, mesmo a jeito para um sopa quente. 

Cá vem ela, favas e funcho e não precisamos de mais nada para fazer a festa.


   photo 0003_zpsujnio5go.jpg 


Sopa de favas e funcho 

1 bolbo de funcho 
Azeite 
400 g de favas frescas (ou congeladas) 
1 L de água 
Sal e pimenta preta moída na hora 
Sumo de ½ limão 


// preparação tradicional 

Corte o funcho em rodelas finas e refogue-o em azeite, até que amoleça. 
Adicione as favas, cubra com a água e coza tapado em lume brando até que fiquem macias, cerca de 30 minutos. 
Tempere com sal e pimenta, regue com o sumo de limão e triture até obter um puré cremoso. Rectifique os temperos e a consistência, tendo em conta que engrossará muito depois de arrefecer. 


// preparação robot de cozinha (bimby_thermomix) 

Coloque no copo o funcho e o azeite, pique 5 seg/vel 5 e refogue 6 min/Varoma/vel 1. 
Adicione as favas, cubra com água e coza 40 min/100ºC/ vel 1. 
Tempere com sal e pimenta, junte o sumo de limão, programe 2 min e vá progressivamente até à vel 7. 
Rectifique os temperos e a consistência, tendo em conta que engrossará muito depois de arrefecer.

     photo 0004_zpsuf2evezz.jpg

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Risotto Primavera de farinheira.

 photo 0001_zps1p4tnkaj.jpg

É oficialmente época de sair à rua: aproveitar os dias de sol e tirar o máximo partido das tardes que se vão esticando mais e mais, das flores que inundam todos os recantos verdes da cidade e deixar a Primavera entrar nas nossas rotinas.
   photo 0002_zpszb3ck9z5.jpg

Deixá-la também entrar na nossa cozinha, claro!
Primeiro as ervilhas tortas, depois as ervilhas, agora já começam a chegar também as favas e as primeiras nêsperas e morangos com sabor a morangos.
Coisas boas dos raios de sol.
   photo 0003_zps9p6f3l1s.jpg photo 0004_zpsi8p2x1et.jpg

No outro dia, num almoço rápido que preparei cá em casa para uma amiga, fiz um risotto de funcho e laranja que ficou mesmo, mesmo bom.
Não teve direito a foto, por isso pensei repeti-lo um tempo depois para poder partilhar aqui convosco, afinal, faz tempo que não havia risotto por cá, e é coisa de que gosto tanto.

Mas com umas ervilhas frescas já a dar o ar da sua graça e a mão a fugir-me para a farinheira que estava no frigorífico, acabei por fazer uns desvios de percurso que deram nisto!

No meu livro, Velocidade Colher, há um risotto de farinheira e castanhas que é repetido e repetido vezes sem conta (e a respeito do qual recebo imenso feedback). Porque a farinheira, desfeita, a engrossar o caldo do arroz, fica fabulosa. Aquela coisa de dar fome só de pensar.

Aqui junta-se-lhe o adocicado das ervilhas, a sugestão do anis deixada pelo funcho e só saberão como é bom quando fizerem.
   photo 0005_zpscgbxfx7i.jpg


Risotto Primavera com farinheira

Serve 4

800 ml de caldo de legumes (ou 1 cubo + 800 ml de água), de preferência caseiro
1 bolbo de funcho, cortado em juliana fina
Azeite

200 g farinheira s/ pele, desfeita em pedaços

300 g arroz carnaroli, próprio p/ risota

200 g de ervilhas frescas
200 ml vinho branco


Sal e pimenta preta moída na hora
40 g queijo da ilha
, mais q.b. p/ servir


// preparação tradicional

Aqueça o caldo de legumes.
Refogue o funcho no azeite, até ficar macio, cerca de 5 minutos.
Junte 
a farinheira e deixe mais alguns minutos, mexendo de vez em quando.
Acrescente o arroz, envolva e deixe em lume médio cerca de 2 minutos, até que o arroz mude de cor e fique opaco.
Adicione as ervilhas e o vinho e deixe ferver uns minutos para o álcool evaporar.
Vá adicionando o caldo quente aos poucos - mexa sempre 
e espere o arroz absorvê-lo antes de adicionar mais.
Tempere com sal e pimenta e cozinhe o arroz durante uns 20 minutos.

Envolva o queijo, ralado 
na hora e rectifique os temperos.
Deixe repousar cerca de 2 minutos e sirva de seguida.
 

 photo 0006_zpsbl5lp4wx.jpg


// preparação robot de cozinha (bimby_thermomix)

Deite o queijo no copo e rale 6 seg/vel 9. Retire e reserve.
Coloque no copo o funcho e o azeite e refogue 5 min/Varoma/vel c. inversa.
Junte a farinheira e cozinhe 3 min/100ºC/vel c. inversa.
Adicione o caldo de legumes, o vinho, o arroz, tempere com sal e pimenta, envolva com a espátula e programe
 8 min/100ºC/vel c. inversa.
Envolva com a ajuda da espátula e marque mais 8 min/100ºC/vel c. inversa.
Adicione o queijo ralado, envolva, rectifique os temperos e programe 2 min/100ºC/vel c. inversa. 
Deixe repousar cerca de 2 minutos e sirva de imediato.

   photo 0007_zpsc42y9jpn.jpg

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Era uma vez a receita que não tinha receita. Mas é tão boa!

Prometeram-nos sol de Verão nesta semana de Primavera, e é mesmo o que todos mais queremos.
Quem aproveitou a Páscoa para uns dias de férias, não podia ter tido mais sorte.
Por isso, para quem tem os miúdos em casa a pedir lanche entre brincadeiras, para quem se prepara para a primeita tarde de praia, piqueniques ou simples passeios sem horas marcadas, deixo-vos um doce para festejar os braços de fora.
   photo 0100_zpscjvupyoz.jpg

Receita propriamente dita, não há!

Basta umas sobras de sobras de massa e um frasco de doce, e está feito.
Foi precisamente esse o mote destes rolinhos: acabada de forrar uma tarteira e perante as sobras de massa com que fiquei; com a temporada de fruta da boa à porta e ainda algumas compotas da temporada passada por acabar, foi fácil.

Basta esticar a massa bem fininha, cortar em quadrados, rechear com o doce (neste caso de pêssego, amêndoa e tomilho-limão) e fechar.
Antes de enrolar, dobrar as laterais da massa para dentro, de forma a que o doce não fuja.
Pincelei com leite, mas para que fiquem mais bonitas e brilhantes, é fazê-lo com gema de ovo e ei-las ainda mais catitas.

Forno pré-aquecido a 180ºC e 30 minutos depois estão prontas.
Se preferir, pode congelar antes ou depois de levar ao forno e já fica um lanche dos bons preparado para outro dia.

   photo IMG_1253_zpsyaizb2cw.jpg 

E porque a semana da Páscoa é sinónimo de folar, se andam à procura “da” receita, há muitas aqui pelo blogue.
No ano passado trouxe um brunch com sabor a folar, acho que o mesmo que vou fazer este ano (já repeti vezes sem conta, porque por cá come-se mesmo fora de época), mas podem encontrar aqui muitas outras ideias para perfumar a casa com cheirinho a Páscoa.



sexta-feira, 20 de março de 2015

Uma Primavera que ainda sabe a sopa de grão e carne.

Hoje chega a Primavera, mas aqui pela cozinha de casa, depois de uma semana de férias por um Alentejo bem primaveril, voltámos às consoladoras sopas quentes e substanciais.
Os fins de dia continuam fresquinhos e por muito que queiramos as mangas curtas e as refeições frescas, vou-me mantendo pela comida-conforto das estações de frio, a fumegar na panela de ferro fundido.
   photo 1_zpswz65iajn.png

E esta é uma das que mais faço nos meses de Outono-Inverno.
Desde miúda, um bom prato de sopa com carne e legumes e tudo e tudo, é petisco que dificilmente troco por outra coisa.
Ora com grão, ora com feijão ou lentilhas, seja com carne de vaca, frango ou mesmo apenas legumes, é sempre um prato cheio de coisas boas que chega à mesa.

 photo 2_zpszlm4mm9r.png

Enquanto conto os dias para sentir a Primavera em pleno, aqui vai uma receitinha deliciosa para o fim de semana.
Obrigatório comer bem quentinha!

   photo 3_zps7oqgkhrd.png 

Sopa de grão com carne

1 c. sopa de azeite
1 cebola grande, picada
3 dentes de alho, picados
½ c. chá de cominhos
400 g de carne de vaca, em cubos
2 c. sopa de pasta de tomate
1 folha de louro
1,5 L de água ou caldo caseiro
200 g de cabeça de aipo, em cubinhos
200 g de batata doce, em cubinhos
200 g de grão cozido *
Sal e pimenta preta moída na hora
Sumo de ½ limão
Coentros q.b., p/ servir
Pão escuro fatiado, p/ servir


// preparação tradicional

 Aqueça o azeite numa panela e refogue a cebola, até que amoleça. Junte os dentes de alho e os cominhos e deixe mais uns minutos em lume médio.
Adicione a carne, em cubos pequenos, e deixe alourar de todos os lados.
Acrescente a pasta de tomate, a folha de louro, a água/caldo e quando começar a ferver, junte o aipo.
Tape e deixe em lume brando cerca de 1 hora ou até a carne ficar macia.
Adicione a batata doce, tempere com sal e pimenta e deixe cozer mais uns 20 minutos.
Junte o grão cozido*, rectifique os temperos e coza 10 minutos, até que tudo esteja bem cozinhado, se necessário, destapada, para evaporar algum líquido.
Regue com o sumo de limão e sirva polvilhado com coentros e umas fatias de pão.

 * Eu tinha grão já cozido - mimos da mamã que me vai abastacendo sempre -  o truque é cozer-se sempre em maiores quantidades e congelar para usar depois.
Mas se quiserem cozê-lo na preparação da sopa, juntem o grão já demolhado logo de início, com o aipo, e rectifiquem os tempos até que fique cozinhado.
   photo 4_zps9l7wzljk.png

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

As laranjas. Para o bolo de laranja e coco.

 photo 2_zpsgmj5qjy3.jpg

Na minha cozinha elas andam por todo o lado.
Taças, cestos, aqui e ali, só se vê laranjas e tangerinas.
Na quinta, em Palmela, as árvore continuam a balançá-las, entre a folhagem verde, como se fossem brincos doces que prometem adoçar-nos os dias de Inverno.
Porque fruta boa, para a boca e para a saúde, é fruta da época!

Entre as que comemos aos gomos, as que vão para os batidos, as que coloco nas saladas e as que espremo para temperar tudo e mais alguma coisa, tinham que também dar em bolo.
   photo 3_zps4vs51pnk.jpg

Não faltam cá no blogue bolos de laranja, receitas simples, com o que temos sempre à mão e que fazem os citrinos de Inverno, no seu auge, brilhar a cada garfada de bolo que nos chega à boca.
Esta vem com coco e está mesmo a chamar pela hora do lanche.

Vai um bolinho para o fim de semana?

   photo 1_zpsrapvlly9.jpg 

Bolo de laranja e coco

180 g de açúcar amarelo
3 ovos
Raspa de 1 laranja
80g de azeite
100 ml de sumo de laranja
40g de coco ralado
80 g de farinha de trigo c/ fermento
80 g de farinha de trigo integral
1 pitada de sal
1 c. chá de fermento


// preparação tradicional

Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Unte com manteiga e polvilhe com farinha uma forma redonda com buraco.

Bata o açúcar com os ovos e a raspa de laranja até obter uma mistura espumosa.
Adicione o azeite e continue a bater até obter uma mistura homogénea.
Junte o sumo de laranja e o coco e bata até misturar.
Envolva as farinhas, o fermento e o sal e envolva suavemente na massa apenas até incorporar.

Deite a massa na forma preparada e leve ao forno a 180ºC durante aprox. 30 minutos ou até ao espetar um palito este sair seco.


// preparação robot de cozinha (bimby_thermomix)

Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Unte com manteiga e polvilhe com farinha uma forma redonda com buraco.

Coloque no copo a casca fina da laranja com o açúcar e pulverize 6 seg/vel 9.
Adicione os ovos, o sumo de laranja, o azeite e o coco e bata 2 min/vel 6.
Junte as farinhas, o fermento e o sal, envolva com a espátula e programe 5 seg/vel 3.

Deite a massa na forma preparada e leve ao forno a 180ºC durante aprox. 30 minutos ou até ao espetar um palito este sair seco.
   photo 4_zpstrfapqyy.jpg

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Escócia analógica.

Em Outubro passado andámos a passear pela Escócia.
Foi uma viagem cheia de natureza, verde, caminhadas e paisagens grandiosas.

A condução à esquerda foi uma aventura, mas limitei-me às tarefas de co-piloto, assim podia apreciar as vistas descansada, eheheh.

De Bed&Breakfast em Bed&Breakfast, na altura fui partilhando no Instagram e Facebook algumas das paragens por onde passámos e por onde comemos, mas tenhos muito mais para mostrar nas fotografias digitais que trouxe comigo.

Hoje, e porque levei um rolo e uma das minhas Canon's do coração comigo, deixo-vos as memórias analógicas.
A maioria foram tiradas na ilha de Skye, onde ficámos alguns dias, e no mercado biológico de Edimburgo, sob o castelo, onde nos despedimos deste périplo pelas Highlands, alimentado a muito porridge.

Viagem tão boa!
   photo 0001 copy_zpsdp8ns0bu.jpg photo 0002 copy_zpsttsa28zf.jpg  photo 0003 copy_zpsisbkcstg.jpg  photo 0004 copy_zpsne1hnyu8.jpg  photo 0005 copy_zpscuz5mqcu.jpg  photo 0006 copy_zpsf1kaj56u.jpg  photo 0007 copy_zpsiecimsaa.jpg  photo 0008 copy_zpsq2otjoli.jpg  photo 0009 copy_zpsqhft2iwa.jpg  photo 0010 copy_zps3cgis6pa.jpg  photo 0011 copy_zps3tdbevc5.jpg photo 0013 copy_zpsigffd26y.jpg  photo 0014 copy_zpsegxhmuwc.jpg  photo 0015 copy_zpskujl77ks.jpg  photo 0016 copy_zpsz5mnnne4.jpg  photo 0017 copy_zpschmsesnw.jpg  photo 0018 copy_zpss6q1ixxt.jpg  photo 0019 copy_zpsohnjlzt8.jpg  photo 0020 copy_zpswnhjwd4r.jpg  photo 0021 copy_zpsze03uurk.jpg  photo 0022 copy_zpsczerpmbk.jpg  photo 0023 copy_zpsys3jpctd.jpg  photo 0024 copy_zps8cr7ctkh.jpg  photo 0025 copy_zpsxbo1yf1u.jpg